Música no Cinema: Vida e obra de Ennio Morricone - InC | Instituto de Cinema | Cursos de Cinema e Atuação

Instituto de Cinema de SP

Música no Cinema: Vida e obra de Ennio Morricone

Nascido em 10 de novembro de 1928 em Roma, o maestro e compositor de trilhas sonoras Ennio Morricone faleceu nesta segunda-feira (06/07/2020) aos 91 anos de idade. Sua vida marcou a história do cinema com mais de 500 trilhas sonoras e composições para rádio, TV e filmes como Três Homens em Conflito, Era uma Vez na América, e o clássico Cinema Paradiso.


Ennio começou a compor aos 6 anos de idade e tinha formação clássica no Conservatório Santa Cecília de Roma, com especialização em composição e trompete. Sua estreia no cinema se deu em 1961 com a música do filme Il Federale (Luciano Salce).


Sua fama, porém, só veio com o filme Por um Punhado de Dólares (1964), do diretor italiano e amigo de infância de Ennio, Sergio Leone. O filme faz parte do gênero spaghetti westerns, um subgênero western de produção italiana das décadas de 1960 e 1970. Outro filme que contou com sua composição da trilha sonora foi Três Homens em Conflito (1966), do mesmo diretor. A clássica música de faroeste se tornou um marco atemporal no gênero e conhecida mundialmente. Neste filme, Morricone também inovou criando um arranjo para cada personagem, associando a um som ou instrumento específico, e aumentando ainda mais a relação entre a música e o filme. A música “The Ecstasy Of Gold” foi tão marcante que ganhou uma versão em rock gravada pela banda Metallica, que usa o clássico na abertura de seus shows desde 1983.


Além da carreira no cinema, o compositor deixou sua marca em diversos países e gêneros musicais, e compôs para Pet Shop Boys, Andrea Bocelli, Mina e Sting. Ainda nos anos 60, Morricone trabalhou em um álbum com Chico Buarque, que na época se encontrava exilado em Roma. O álbum se chama Per um pugno di samba (em português, “por um punhado de samba”) em alusão ao título da obra Por um Punhado de Dólares, e inclui a música “Roda Vida” gravada em italiano.


Ennio possuía um modo peculiar de compor: da cabeça diretamente para a partitura, sem passar por qualquer instrumento. O compositor chegou a afirmar em uma entrevista que não precisa ouvir a música pra senti-la, e que a escuta quando tudo está em silêncio. Qualquer que fosse o método, com certeza trouxe muito sucesso e reconhecimento para o compositor que, ao longo da carreira, foi vencedor de diversos prêmios por seu trabalho, desde Grammys a Globos de Ouro e BAFTAs. 


Contudo, o reconhecimento na maior premiação de cinema americana foi acontecer apenas em 2007, quando Morricone recebeu um Oscar honorário por sua vasta e extremamente influente carreira musical, apesar de ter sido indicado 5 vezes anteriormente. Foi somente em 2016 que o compositor finalmente ganhou o prêmio de Melhor Trilha Sonora Original por Os Oito Odiados (Quentin Tarantino).


Confira abaixo algumas das principais obras que contam com a composição e trilhas marcantes de um dos maiores compositores de todos os tempos no cinema!


1.     Il Federale (Luciano Salce) - 1961


2.     Por um punhado de dólares (Sergio Leone) - 1964


3.     Era uma vez no Oeste (Sergio Leone) - 1968


4.     Queimada! (Gillo Pontecorvo) - 1969


5.     Investigação Sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita (Elio Petri) - 1970


6.     Quando Explode a Vingança (Sergio Leone) - 1971


7.     1900 (Bernardo Bertolucci) - 1976


8.     Cinzas no Paraíso (Terrence Malick) - 1978


9.     Era uma vez na América (Sergio Leone) - 1984


10.  A missão (Roland Joffé) - 1986


11.  Os Intocáveis (Brian De Palma) - 1987


12.  Cinema Paradiso (Giuseppe Tornatore) - 1988


13.  Bugsy (Barry Levinson) - 1991


14.  Malèna (Giuseppe Tornatore) - 2000


15.  Os Oito Odiados (Tarantino) - 2015


 


O canal Telecine cult fará uma mostra de filmes em homenagem ao compositor no próximo sábado, (11/07), uma ótima oportunidade de conhecer e apreciar os clássicos do cinema marcados pelo brilhante trabalho de Morricone.


 


Por Ana Clara P.S.M.O.

voltar