Instituto de Cinema de SP

Mulheres Pioneiras no Cinema

Alice Guy-Blaché, Germaine Dulac, Olga Preobrazhenskaia, Leni Riefenstahl, Dorothy Arzner, Maya Deren. Assistir ao trabalho de essas e outras mulheres fundamentais para a história do cinema ficou mais fácil graças à recém-lançada antologia Early Women Filmmakers, que reúne 25 filmes de 14 diretoras pioneiras. E o que é melhor: em versão restaurada.

Parceria entre as empresas Flicker Alley e Blackhawk Films, a coletânea tem formato duplo (DVD e Blu-ray) e pode ser comprada pela internet por US$ 69,95 (R$ 218,83). De acordo com Josh Morrison, gerente de operações da Flicker Alley, o projeto foi criado pelo americano David Shepard, que foi responsável pela preservação de centenas de filmes e morreu em janeiro deste ano.

“Ele mencionou várias vezes a ideia de reunir filmes que representassem a produção pioneira das diretoras”, disse Morrison, em entrevista ao Mulher no Cinema. “Foi o último projeto no qual David trabalhou e sem dúvida era uma paixão para ele.”

Shepard também participou da seleção de filmes e cedeu, por exemplo, títulos da diretora Alice Guy-Blaché, de quem era colecionador. Uma das primeiras cineastas de todos os tempos, tanto entre mulheres quanto homens, Blaché dirigiu seu primeiro curta em 1896 e tem seis trabalhos inclusos na antologia.

Morrison também afirmou que a seleção buscou nomes internacionais, como Germaine Dulac e Olga Preobrazhenskaia, no que será um diferencial em relação a outra antologia de cineastas mulheres que deverá ser lançada no futuro pela empresa Kino.

A coleção envolveu o trabalho de diferentes restauradores, como a empresa Lobster Films, a Biblioteca do Congresso Americano e a Universidade de Chicago, e a produção de novas trilhas sonoras, compostas por Judith Rosenberg, Tamar Muskal, Frederick Hodges, Sergei Dreznin e Rodney Sauer e a Mont Alto Motion Picture Orchestra.

No total, são mais de dez horas de material, que cobrem o período entre 1902 e 1943. A antologia também inclui um livreto escrito por Kate Saccone, diretora do projeto Women Film Pioneers, e um comentário em áudio para The Blot, de Lois Weber, feito por Shelley Stemp, professora da Universidade da Califórnia Santa Cruz.

Segundo o gerente de operações da Flicker Alley, o interesse do público é grande. “As vendas têm sido muito boas, apesar do declínio geral no mercado de mídias físicas”, afirmou. “Parece haver uma excitação especial em relação a essa antologia, porque cresceu a consciência sobre a importância das mulheres para o cinema, tanto historicamente quanto atualmente.”


Via: Mulherenocinema.com
voltar